11.11.10

Meio termo

Todos os dias, eu pego o ônibus com um homem que ergue o olhar para o fundo do transporte enquanto passa pela catraca, e deixa seus olhos irem deslizando desde as últimas cadeiras. Avançariam até as primeiras se não me encontrasse ali no meio do ônibus, com a cabeça baixa sobre um livro enquanto pedaços dos meus pensamentos vão caindo e indo embora pela janela.
Todos os dias, após os olhos desse homem encontrarem-me no meio termo, entre a dúvida impetuosa e a vontade de deixar que os seus olhos pousem nos meus, seus lábios abrem um sorriso desejando-me um bom dia.
Poderia ser gentil, e levantar os olhos do livro, e deixar que qualquer coisa que haja entre a divisão dos seus cílios convença-me de que eu estou completamente errada quando penso que não há mais nem mesmo uma fagulha de amor nesse mundo. E que me convença ainda de que o mundo não pode conspirar contra qualquer ser humano, por menorzinho que ele seja. Pois o mundo - azul e redondo - não pode fazer nada além do seu movimento de rotação e translação.
Mas nada disso eu posso enxergar quando os meus olhos, com medo de se perderem na imensidão que é o olhar do outro, mantêm-se fixos àquilo que eu acredito ser a realidade. E qualquer distância entre a minha cadeira e a sua pode ser ultrapassada por alguns passos. Mas a distância maior ainda é essa: a distância entre o pensar e o agir. A distância que meu medo, tão cheio de pernas, não consegue ultrapassar.

12 comentários:

Gente do céu!! disse...

vc é mto boa ^^

Pitta disse...

Eu poderia com a perspectiva do homem :)

Jaci Macedo disse...

Se tem uma coisa que eu aprendi é que é melhor tentar e fracassar do que passar a vida se lamentando por não ter tentado.

beijos, coração.

Bella disse...

Muito bem escrito. Fiquei pensando sobre o assunto...

Jean David disse...

"-Parabéns Pelo Espaço! Um Forte Abraço!"

GABRIEL, gustavo disse...

Simples e forte.

As vezes nossa "realidade" é mais irreal e absurda que o próprio palpável.

Gaby Soncini disse...

Não há distância pior que essa.

Sou sua fã Rute!

Grande Beijo.

Rolando disse...

oi. tudo blz? estive por aqui. muito legal. apareça por lá. abraços.

Rodolpho Padovani disse...

Ai ai, a distância que o medo cria é meio difícil de superar, mas não impossível, basta ter bastante força de vontade ^^

Bjs =)

Fábio Farias disse...

que coisa bonita e bem escrita. parabéns.

Nina disse...

Uma história imaginária que é bem real...

vc escreve MUITO bem!

Pitta disse...

Olha só o que aconteceu: http://pittonico.blogspot.com/2011/04/menina-do-girassol.html

Espero que goste.
Foi com grande carinho :)

=*♥