11.1.11

Flores de plástico

Orlando,

Primeiro eu me surpreendi; agradeci-o; dei-me completamente às sementes; fui recompensada com as flores. Mas agora, eles estão despetalados. Os girassóis, Orlando, os girassóis vistos assim nem mais parecem girassóis.
Então é isso? Era exatamente isso que você queria me dizer quando deu-me as sementes?
Primeiro você se rende ao amor, e encanta-se de uma maneira que poderia dar a sua vida por ele.
Em seguida ele te retribui, e te gratifica presenteando-te com as mais belas flores, das mais belas cores.
Mas então, ele murcha. E vai embora. E morre.
Pois, se era pra cuidar e depois ver morrer um amor que tinha tudo pra dar certo, e sentir-se culpada por isso, por que não me deu flores de plástico? Por quê?

5 comentários:

Pitta disse...

Porque para as sementes, você fez toda a diferença :)

Camila Costa disse...

As vezes tenho essa sensação, mas concordo com o comentário acima.

Marina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Jaci Macedo disse...

Lindo. Incrivelmente lindo seu texto. Ainda acho que mesmo com as flores de plástico, as que me fossem dadas acabariam no lixo.

beijos, coração.

Sara R. Carneiro disse...

Bravo! Acho incrivel como em alguns textos teus, tu descreve exatamente o que eu sinto mas não consigo por em palavras. Esse é o meu segundo texto preferido dos inúmeros textos bons que tu escreve *-* Beijos, minha flor mais linda. ;D

Tem coisa nova lá no meu. Apareça!
http://sara-rsc.blogspot.com/