19.7.10

Os guarda-chuvas

Não havia como esquecer: são dessas cenas que nunca escorregam aos calabouços do tempo; era a chuva perfurando a tarde e, naquele homem, abrindo fenda nos ombros; ele não tinha guarda-chuva e, parece, nem vontade de se molhar. Diante da poça de água, tentava arranjar qualquer modo de atravessá-la sem que se molhasse. Sabia muito bem, mais do que ninguém, que sapatos molhados trazem um peso a mais.

Não há como esquecer: são desses encontros que nunca evaporam junto com a chuva; era o homem fugindo do peso das coisas desnecessárias e, naquela tarde, deparando-se com a ajuda de uma desconhecida; ela não tinha intenções e, parece, nem vontade de tê-las. Mas as intenções são desses barquinhos de papel que, querendo ou não, são carregados pela chuva em direção de algum bueiro, a menos que um menino o salve dessa tragédia e o chame de meu.

Seu Galdino relutava em atravessar a poça, quando uma moça muito bonita e séria estendeu para ele o seu guarda-chuva. Desses guarda-chuvas que são estendidos em forma de ponte para estreitar os abismos que há entre um ombro e outro. Depois de entender as boas intenções da adorável Dona Flor, ele nunca mais teve que se preocupar com os seus sapatos molhados que o traziam um peso a mais. E ainda que molhasse, o que importava? Sua cabeça estava à salvo das gotas de chuva, porque sempre que chovia havia ao seu lado uma senhora muito séria empunhando toda a sua braveza nas gentilezas de um guarda-chuva.

5 comentários:

GABRIEL, gustavo disse...

E se todos nós encontrássemos esses guarda-chuvas, escritora?

A gente ia querer que chovesse toda tarde.

- уαsmin sales disse...

lindo, lindo*---*
confesso que tive que ler mais de uma vez pra entender haha.
enfim, eu nunca li um texto tão bem escrito e com tanta sensibilidade igual ao seu.
parabéns por tudo aqui.
beijos

Rodolpho Padovani disse...

E muitas vezes um guarda-chuva desses é o que precisamos. Adorei esse...

E valeu pelo comentário e vc ainda tem a ousadia de pedir criatividade?? Aqui já tá transbordando disso, menina, haha

Bjs (no ombro) e até a próxima =)

Ariela disse...

Ai, as metáforas! Como eu as amo!

Babi Leão disse...

Quanto sensibilidade !
Mesmo que não chova, a gente precisa mesmo de um guarda chuva todo dia para se sentir protegido e não se preocupar tanto com as poças, nao é ?

Parabens querida!
Beijos !