10.7.10

sementes de girassól

Querido Orlando,

Como é que a gente pode perder as coisas que nunca teve? E deixar que o tempo as leve pra longe da gente até que nossos olhos não as alcance mais? Quando o tempo leva, não há ponte que una dois olhares abandonados. Não há agulha nem linha do tempo que reate dois corações afastados por motivos que não são importantes. Será que é assim que as coisas vão embora? Ou talvez nem cheguem?

Mas hoje eu abri a janela e mal consegui acreditar! Inspirei um milhão de cores e expirei uma explosão de flores, escapando afoitas do meu peito. Abri a janela e vi: o meu girassól brotou! Por que há isso de extraordinário no mundo, Orlando. Quando alguém rejeita os seus cuidados, por algum motivo muito importante pra ele ou por motivo nenhum, você pode plantar um girassól. E pode regá-lo, vê-lo crescer, pode falar com ele, amá-lo... Mas você sabe bem que seu girassól nunca vai criar pernas e ir embora de você. O seu girassól vê o amor que você tem por ele quando o banha exageradamente, e quando o olha com os olhos de uma mãe. Olhei pro meu girassól e vi que tudo é tão bonito, tudo tão… inacreditavelmente perfeito e encaixado que nem a maldade dos homens, de seis bilhões de homenzinhos pequeninhos, pode ser maior do que o conjunto das estrelas erradias, ainda mais quando metade de cada homem também é amor…

Porque eu sei, Orlando, que somos feitos de bem e mal. E eu que achava que era a culpada disso tudo, que tinha feito ou deixado de fazer algo e por isso o outro foi embora, eu que nem acreditava mais em mim... Você só quis me mostrar que eu podia ser maior, não do que os outros, mas que eu podia ser maior que os meus medos ou até mesmo do lado mau que há em mim. Você me mostrou bem isso quando chegou sorrindo e me deu aquelas sementes de girassól.

5 comentários:

Polyana disse...

Ah, Rute, eu sei como é ganhar sementes de girassol. Ganhei duas delas de uma professora no fundamental. O combinado era plantar em um vasinho e dar para um amigo. Eu plantei minhas sementes em um vaso. Reguei, adubei e entreguei para o Ricardo. Ele me prometeu que assim que a planta colocasse a primeira flor, ele me devolveria. Dois anos depois, ele me mandou um recado, dizendo que aquela planta cresceu, ficou enorme, e que dela surgiram várias. Ele jamais me devolveu. Fez mais, entregou várias mudas para os vizinhos. Mas eu não fiquei triste, pois sei que muitas pessoas agora cuidam de seus girassóis, e eu, fico satisfeita em saber que foi apartir do meu cuidado, que hoje vários jardins são iluminados pelos belos girassóis amarelos.

GABRIEL, gustavo disse...

Meu medo é que venham o seis bilhões de malvados e cortem fora teu girassol, e levem ele embora.

Franciele Valadão disse...

Adorei! Beijo!

Franciele Valadão disse...

Que lindo. Quando eu estava na primeira sérei minha professora também me deu sementes de girassol. Acho que a maioria faz isso .. Adorei mesmo!

Jaci Macedo disse...

Lindo texto.
tem desafio e selinhos pra ti no meu blog. beijos (: