16.4.10

Conspiração

Era nova a sandália. Nova, nova não era. Mas também não era velha.
Pois a sandália, senhores, a sandália arrebentou. Logo na hora do atraso, logo no dia em que tudo dá errado.
O mundo, que antes fazia apenas o movimento de rotação e translação - e era o máximo que ela achava que ele podia fazer - resolveu conspirar contra alguém. E voltou pra casa, senhores. Voltou e calçou outra sandália.

A sandália que fora substituída foi elogiada. Bonita a sandália. Bonita. Acalmou-se a moça, sentou no ponto de ônibus e criava expectativas, listando (sempre a mania das listas) em ordem de maior probabilidade "Coisas que ainda podem acontecer hoje para piorar o meu dia". Logo vem um menino. O menino, senhores, era bonito. Mas era tão sujo e tão mal-arrumado que mesmo o sorriso, ainda que encardido, não conseguia ressaltar a beleza do menino.Nunca havia recebido um elogio. Os pés do menino descalços.

Menino, cadê sua sandália? Sua sandália também arrebentou?  Também o mundo conspira contra você, menino? Também foi baixa a sua nota da prova? Também contaram a verdade que voce não queria ouvir? Você também não suporta ouvir coisas ridículas de pessoas bobas? Você tem também um problema desse tamanho? Desse tamanho aqui, menino - e abriu os braços na tentativa de fazê-los dar a volta no mundo.
- Também arrebentou sua sandália, menino?
- Nunca tive sandália, moça.

A moça entendeu, entendeu que o menino sorria justamente porque nunca tinha calçado uma sandália. Não ficará triste nunca, pensou, não ficará triste nunca porque nunca terá uma sandália quebrada.
O menino nunca teve uma sandália, e quem sabe, nunca terá. Assim não há risco de se ficar triste, de se zangar, quando não se tem uma sandália quebrada.

A moça vai ter tantas outras tristezas, vai chorar tantas outras vezes, porque sempre vai ter uma sandália pra substituir a quebrada.
Sempre haverá outra sandália.

6 comentários:

Anônimo disse...

Você tem o dom para escrever, meu peixe. Te amo muito, viu? Que Deus te ilumine sempre (L) Por Lorena Ribeiro.

Yasmim disse...

Ai Rutinha, adorei, como você consegue ser assim criativa até com coisas que são incovenientes? Vou ler mais o seu blog, até por que quando você conta essas histórias aqui no blog elas ficam muito mais interessantes do que já são.

Rute Vieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Adrieli disse...

Perfeito, como sempre, e eu nem preciso falar!
Um dia, quando eu crescer, quero ser assim também!

Polyana disse...

Rute, você realmente tem o dom da escrita. É bom, depois de certas situações pode extrair algo produtivo delas. É bom termos esse olhar produtivo, por que nessa vida, é tudo aprendizado.

GABRIEL, gustavo disse...

É, dona Rute... todo o dito é verdade. Só que quando ele pisar em vidro, vai entender a importância da sandália que não teve;

e vai ficar triste por não ter uma sandália.

Contradições da vida...