28.8.10

3 segundos

O teus dedos entrelaçados aos meus formam um cruzamento de caminhos perdidos. E eu não sei em qual eu poderia dar o primeiro passo. Apenas me perco. E eu deveria me encontrar quando encontrasse os teus olhos pousando suavemente nos meus. Mas há qualquer vazio nos teus olhos que me assustam. Há um vazio maior do que o azul, onde não encontro nuvem ou estrelas. Onde meus olhos, ao pensar que se encontraram, se perdem mais ainda. E atravessam labirintos, apavorados, porque não sabem que criatura habitaria por ali. Fogem. Tentam se esconder. Procuram qualquer luz na tentativa de achar a saída, mais aí, caem. Então encontram a tua mão estendida, estreitanto as distâncias e afastando as nuvens pra me avisar que já amanheceu, empurrando a manhã para dentro de nós.
Quando enfim amanhece, amor, novamente entrelaçamos os dedos...

4 comentários:

Jaci Macedo disse...

Awn, que texto lindo ^^ Conseguistes descrever um sentimento muito profundo. Gostei, como sempre.

beijos, coração.

Rodolpho Padovani disse...

E que os dedos continuem entrelaçados no decorrer do dia...
Muito lindo.

Bjs =)

Shaira Gabriela disse...

Muito lindo o texto. Adoooro seus textos, sempre muito bem escritos! Deus te abençoe! :]

Sara Carneiro disse...

Como sempre, me encantando com as palavras hein Rutinha? Parabéns :* Belíssimo texto (: Amo o teu blog, amo vs <3